Postagens

Mostrando postagens de Agosto, 2015

As diferentes cidades dentro de uma cidade: segregação socioespacial, políticas públicas e melhoria das condições de vida dos pobres

Imagem
Segregação socioespacial é um conceito que investiga a relação entre as posições que os agrupamentos humanos ocupam no espaço social e sua localização no espaço físico das cidades. O conceito articula os estudos sobre desigualdades socioeconômicas e sua relação com a distribuição das pessoas no espaço urbano. Há que se considerar que os agentes sociais, nos dizeres de Bourdieu (1999), se constituem como tais em relação e pela relação com o espaço social, mas também com as coisas que são apropriadas por esses agentes (propriedades) e estão situadas num determinado lugar no espaço social (posição relativa abaixo, acima, entre) e pela distância entre eles.
Como o espaço físico é definido pela exterioridade mútua das partes, o espaço social é definido pela exclusão mútua (ou distinção) das posições que o constituem, isto é, como estrutura de justaposição de posições sociais (Bourdieu, 1999, p. 160).
           Para Sorokin (1980) é possível que um homem, no universo, apesar de estar perto do…

A crise política e alguns simbolismos das manifestações

Imagem
Uma crise política se instala e agudiza quando uma combinação de fatores produz um clima a detonar disputas reais e simbólicas na sociedade. Na crise política brasileira atual, alguns elementos são mais ou menos evidentes. Em primeiro lugar, mas não necessariamente nesta ordem, temos os dilemas do chamado presidencialismo de coalizão: um arranjo político que demanda capacidade de produção de agenda e habilidade do presidente na articulação com outros poderes, principalmente com o Legislativo. Porém, o presidente não é o “dono do mundo” e o foco dos protestos direcionado à figura da atual presidente escamoteia a fragilidade de um sistema baseado, historicamente na política do toma-lá-dá-cá das elites políticas e econômicas, avesso aos princípios republicanos. É verdade que o estilo de governar de Dilma Rousseff amplia o problema. Mas, também é verdade que o projeto de governo que ela representa incomoda muito mais. Para além da crise do presidencialismo de coalizão, há uma crise de rep…

A onipotência da toga: a judicialização da política

Imagem
Percebemos, nos últimos tempos, uma tendência segundo a qual todo conflito - de ordem pessoal, institucional, moral -, deve ser dirimido, exclusivamente, pelo Poder Judiciário. Uma crescente incapacidade de outras formas e medidas de resolução dos conflitos por vias extrajudiciais.  O Poder dos Tribunais parece se consolidar como única saída possível quando há querelas ou mesmo disputa entre os demais poderes. 

Lembremos, desde Montesquieu, um dos princípios basilares dos estados democráticos é a harmonia e independência entre os poderes. 

Voltando nosso olhar para o Brasil, há algo mais grave em curso: aos poucos, o direito penal começa a substituir e se sobrepor os direitos humanos, numa clara afronta a ordem constitucional. Vários comentaristas políticos brasileiros têm demonstrado o perigo de um poder autocrático, como o Judiciário, definir os rumos da vida social, política e institucional. É neste cenário que a crescente judicialização da política torna-se um risco à democracia. Não…

Sem Censura: Quem comanda a segurança pública no Brasil?

Imagem
O programa Sem Censura, exibido pela TV Brasil, entrevistou no dia 30 de julho de 2015 o escritor, doutor em ciências sociais e pesquisador Robson Sávio. Ele fala sobre seu livro "Quem comanda a segurança pública no Brasil: Atores, crenças e coalizões que dominam a política nacional de segurança pública". O livro faz uma análise das mudanças ocorridas nas políticas de segurança pública.
O livro é apresentado pelo antropólogo Luiz Eduardo Soares que afirma que a obra “mostra a passagem de paradigmas, em que se sucedem distintas perspectivas de segurança pública: militarizada, civil e cidadã. (...) Robson trabalha com uma pluralidade de questões, que remetem a diferentes disciplinas, como história, política, comunicação, direito, sociologia, antropologia e administração pública."
Ainda segundo Soares, “o momento da publicação do presente livro torna-o ainda mais precioso. Quando há sombras e ódio por toda parte, as polarizações radicais obstam a negociação de consensos mín…