Resultados das eleições: outros olhares


Terminado o primeiro turno das eleições, vamos aos resultados:
BRASIL:
Entre as três maiores "forças políticas" que disputam o poder atualmente, o Partido dos Trabalhadores (PT) foi o que mais cresceu nessas eleições municipais.  O partido venceu as eleições em oito dos principais municípios brasileiros e disputa o segundo turno em outros 22. O PSDB já venceu em seis e disputa outros 17.
Veja o gráfico abaixo:
 
Fonte:  Uol/Eleições
Em números absolutos, a distribuição de votos por partido ficou assim: PT com 17 milhões; PMDB, com 16 milhões e PSDB com 13 milhões de votos.
O número de vereadores por partido: o PMDB tem 7870; o PSDB, 5184 e o PT, 5.102. Detalhe: na última eleição o PT elegeu 3206 vereadores; ou seja, o partido teve um aumento de 1896 vereadores, a maior variação positiva entre os grandes partidos.
A FORÇA DAS MULHERES
O balanço das eleições mostra que em 621 municípios as mulheres vão comandar a prefeitura a partir do ano que vem. Elas representam 11,37% dos 5.463 prefeitos já eleitos no Brasil - um recorde histórico. A maior parte das mulheres eleitas é do PMDB (122), e em seguida vêm PSDB (95), PT (67), PSD (56), PSB (51) e PP (44).
Porém, em Belo Horizonte, somente uma mulher foi eleita: a já vereadora Eliane Matozinhos, do PTB. Serão 40 homens e uma mulher na Câmara Municipal de Belo Horizonte.
Ainda em relação à Câmara de BH, dos 41 vereadores, 19 foram reeleitos para o cargo. Renovação de 54% na Câmara. Bom sinal! Nas eleições anteriores a média de renovação era de cerca de 40%. PSB e PT foram os partidos com mais vereadores eleitos; cada um com seis.

MENSALÃO, MÍDIA E STF
 A grande mídia elegeu o Partido dos Trabalhadores como o “bode expiatório” da Ação Penal 470, conhecida como “Mensalão”.    Em uníssono, a tecla da cobertura do julgamento era sempre a mesma: a demonização do partido.
Por outro lado, o Supremo Tribunal Federal processa um julgamento cuja adjetivação aparenta-se como algo “nunca antes visto na história deste país”. O foco é o PT e não os réus, porque os ministros, nos dizeres de Wanderley Guilherme dos Santos “têm uma ojeriza em relação à política profissional, como se eles não fizessem política – fazem o tempo todo. Mas em relação à política profissional eles têm um certo desprezo aristocrático. E quando na política brasileira irrompeu a política popular de mobilização, eles não aceitaram, dão a isso um significado de decadência, degradação.
Ainda segundo o renomado cientista político  Wanderley Guilherme dos Santos , os ministros “estão considerando esse julgamento como um julgamento emblemático, mas é justamente o oposto, é um julgamento de exceção. Isso jamais vai acontecer de novo, nunca mais haverá um julgamento em que se fale sobre flexibilização do uso de provas, sobre transferência do ônus da prova aos réus, não importa o que aconteça. Todo mundo pode ficar tranquilo porque não vai acontecer de novo, é um julgamento de exceção”.
    Ao que tudo indica, o mensalão não influenciou o resultado das eleições. Aparentemente, o eleitor está mais autônomo em relação às suas escolhas e não é uma pauta externa ao pleito que determina o voto.
MINAS GERAIS
Em Minas, a polarização entre PSDB e PT continua forte. Veja no quadro abaixo:
Fonte:  Blog Rudá Ricci)
O PT administra sete municípios desta lista e no próximo ano administrará seis, podendo chegar a oito (disputa em segunda turno mais dois municípios). Já o PSDB administra quatro e já garantiu seis, também podendo chegar a oito (dois em segundo turno). O PMDB caiu de seis para três, podendo chegar a cinco.
Nas grandes cidades de Minas, o senador Aécio Neves, principal liderança tucana do estado, ganhou em Belo Horizonte e Betim (sendo que neste município, o eleito, Carlaile Pedrosa, enfrenta denúncias de compra de votos). Em Contagem, ganhou a prefeita do PT, Marília Campos, que colocou no segundo turno dois candidatos de sua base eleitoral. Em Uberlândia, o petista Gilmar Machado ganhou no primeiro turno. Em Juiz de Fora, o candidato tucano perdeu, e o PT disputa com o PMDB o segundo turno. Em Uberaba, segundo turno entre PMDB e PSDB; em Montes Claros, também segundo turno entre PT e PRB.

BELO HORIZONTE
            A vitória de Márcio Lacerda no primeiro turno é comemorada pelos tucanos. E nas eleições o que se comemora, com razão, é a vitória. Ainda mais numa disputa intensa e inusitada, como foi este pleito.
            Porém, é preciso uma atenção para os números desta eleição:
Eleitorado de BH: 1.860.172 eleitores
Votaram em Lacerda: 676.215
Não votaram em Lacerda: 1.183.957
            Em outros termos, Márcio Lacerda ganhou no primeiro turno com uma votação que representa pouco mais que 1/3 do eleitorado. Não é uma vitória retumbante, para quem tem uma administração aprovada - segundo institutos de pesquisa (cuja credibilidade está em xeque, mais uma vez) -,  por mais de 70% dos belohorizontinos.
            Por outro lado, os 40% de votos direcionados a Patrus Ananias o credencia novamente para tentar alçar novos voos nas eleições de 2014.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Professores da PUC Minas manifestam-se a favor das ocupações, contra PEC 55, reforma do ensino médio e escola sem partido

Juristocracia que respaldou o golpe quer dar um novo golpe

Mais um "milagre" do Papa Francisco?